Reinventando seu negócio: Conheça 13 novos fluxos de receita

Épocas de incerteza como crises econômicas e grandes epidemias como a Covid-19, fazem com que as organizações utilizem sua criatividade e repensem formas de gerar novos fluxos de receita para seus negócios. Este post busca contribuir apresentando os modelos de receita mais utilizados.

Isca e anzol

Refere-se ao padrão de Modelo de Negócios caracterizado por uma oferta inicial atraente, barata ou gratuita, que encoraja contínuas compras futuras de produtos ou serviços relacionados (Osterwalder, 2011). O lucro da empresa ocorre por meio da venda um “refil”, necessário para utilizar o produto. Exemplo: Nespresso – Venda de máquina de café a preço acessível e venda das cápsulas a preço mais alto.

É possível utilizar uma abordagem diferente para este modelo, com a venda de um produto básico mais caro aliado a oferta do refil mais barato. Um exemplo disto é a estratégia da Apple em comercializar seus produtos a um preço mais elevado e oferecer apps e músicas a US$ 0,99.

Assinatura

Caracterizado pelo pagamento mensal /anual para ter acesso a um determinado produto ou serviço. Sua característica principal está em gerar receita recorrente. Exemplos: A marca de meias Blacksocks tem por modelo o pagamento anual para o recebimento trimestral de 3 pares de meia da cor preta; Netflix – serviço de streaming

Freemium

É o modelo em que uma empresa oferece um produto ou serviço gratuito continuamente como forma de atrair usuários. O modelo busca converter parte destes usuários em pagantes em troca de benefícios maiores (premium) do que os ofertados gratuitamente. Nesse modelo, o cliente somente paga se quiser acesso a vantagens adicionais como versões livres de propaganda (Spotify); maior capacidade (Dropbox); Funcionalidades (Skype e Linkedin).

Modelo Grátis

O produto ou serviço não é cobrado do usuário final (diretamente). Os dados dos usuários e a atenção dos usuários são o pagamento. Diversas propostas de valor são oferecidas a diferentes segmentos de Clientes com diferentes fontes de receita, um deles livre de custo (ou custando muito pouco). Abaixo alguns exemplos:

  1. Destak: Tabloide distribuído gratuitamente para o leitor. Receita vem da venda de anúncios para empresas interessadas;
  2. Google: Oferece uma série de recursos gratuitos para o usuário e tem por fonte de receita a venda de anúncios e de informações para empresas interessadas.

Marketplace (Mercado)

Esse modelo é baseado na conexão entre oferta e demanda, diretamente entre os interessados. Conecta diretamente empresas ou pessoas que oferecem um produto ou serviço a seus consumidores/usuários. Ex: Airbnb Plataforma conecta pessoas que precisam de um lugar para ficar a proprietários que desejam uma renda locando quartos, apartamentos ou oferecendo experiências diferenciadas

Autosserviço (Self-Service)

O cliente realiza parte do serviço ou desenvolvimento do produto sozinho. Sua principal vantagem é a redução de custo. O modelo de autosserviço não gera diretamente receita para o empreendedor, porém, permite com que economize tempo e minimize os custos de um determinado processo. Ex: Ikea: Empresa de origem sueca que atua no segmento de móveis. Seu modelo se baseia na na venda de produtos fáceis de serem montados, havendo a oferta de preços diferentes para um mesmo produto. Se o cliente retira o produto e monta na loja paga mais barato, já no caso de necessitar de entrega e de um montador paga mais caro.

Modelo Leilão

Nesse modelo, o preço de um produto ou serviço não é determinado apenas pelo vendedor, mas os compradores influenciam fortemente o valor final do preço. Ex: Ebay

Modelo Financiamento Coletivo (crowdfunding)

Consiste na terceirização do financiamento de um projeto por um determinado público. Com este modelo é possível a realização da venda de um produto antes de produzi-lo. A ideia basicamente consiste em iniciar uma campanha em sites de financiamento coletivo para que clientes interessados adquiram o produto para que aí então produzi-lo. A Movpack (www.movpack.com) nascida em um projeto de incubação de um parque tecnológico da Bahia conseguiu levantar mais de R$ 860 mil após lançar uma campanha no site de financiamento coletivo Indiegogo.

Vídeo lançado na plataforma de financiamento coletivo Indiegogo. (www.indiegogo.com).

Modelo Cauda Longa

O modelo se concentra em vender pequenas quantidades de uma grande variedade de produtos. Ex: Amazon Itunes, Lego. Em termos de modelo de negócios, entretanto, a LEGO deu um passo além da personalização em massa, entrando no território da Cauda Longa. Além de ajudar usuários a projetarem seus próprios conjuntos, a LEGO Factory agora também vende conjuntos desenvolvidos por usuários. Alguns vendem bem, outros vendem mal ou sequer vendem (Osterwalder, 2011, p. 79)

Pague pelo consumo (Pay as you go)

O cliente é cobrado pelo uso efetivo que faz do produto ou serviço. São exemplos deste modelo a Car2go, que possibilita que os usuários possam alugar veículos por dia, por hora e até por minuto. Concessionárias de energia também utilizam este modelo.

Aluguel

O modelo envolve alugar um produto ao invés de vendê-lo. Ex: Get Malas , a empresa tem como modelo de negócios a locação de malas ideais ao tipo e duração da viagem a ser realizada pelo cliente. O cliente loca por uma plataforma online onde pode definir alguns critérios como tipo, tamanhos e cores e receber o produto em sua residência.

Produto Base (White Label)

Nesse modelo, uma empresa desenvolve um produto e o comercializa para que outras empresas possam vendê-lo, utilizando suas próprias marcas. Ex: Foxconn empresa com sede em Taiwan e é a maior fabricante de componentes eletrônicos e de computadores no mundo. Sua produção é baseada em contratos com outras empresas de tecnologia (Fonte: Wikipedia, 2020).

Venda de Informações

Esse modelo utiliza as informações relacionadas aos clientes cadastrados para vender para outros clientes. Exemplo: Serasa – Venda de informações financeiras e 23Andme – Venda de informações para a indústria farmacêutica.

Referências utilizadas

  1. O ANALISTA DE MODELOS DE NEGÓCIOS: 75 exemplos para você dominar a técnica de modelagem e prototipagem de negócios inovadores. Rio de Janeiro:Analista de Modelos de Negócios, 2018. Ebook. Disponível em: https://analistamodelosdenegocios.com.br/. Acesso em: 21 mar. 2020
  2. OSTERWALDER, A.; PIGNEUR, Y. Business model generation – Inovação em Modelos de Negócios: um manual para visionários, inovadores e revolucionários. Rio de Janeiro: Alta Books, 2011. 300p.
  3. PROGRAMA ALI (Brasil). Sebrae. Modelo de receita: São Paulo: Sebrae, 2019. 25 slides, color;
  4. Créditos da imagem: Mohamed Hassan por Pixabay

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s